sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Memórias...


O tempo passa... O ano mudou... É verdade, mais um ano se passou e tu permaneces intacto na minha mente. Como pode isto ser possível? Faço um esforço para te esquecer, para te apagar de vez da minha cabeça, mas tu insistes em lá continuar... E para quê? Pergunto-me, para quê? Continuo a pensar como teria sido se tudo desse certo. Sim, ainda passo horas antes de adormecer a imaginar o que devia ter dito, o que devia ter feito! Falhei, assim como tu. E agora só queria simplesmente passar a borracha em cima de tudo, mas tu fizeste o favor de escrever a caneta, e agora fica complicado para mim apagar-me dessa memória. E sim, podem até dizer que amores de "crianças" não são para a vida, e não passam de brincadeiras. Podem até dizer que não há um sentimento, que não se pode chamar de amor... Mas isso a mim não me importa, importa-me que assim como as outras pessoas, sou um ser humano com sentimentos. Apesar de tudo sinto a tua falta, L.!

Marta

1 comentário:

  1. Tenho a certeza que o tempo te vai ajudar neste teu problema (: Força nisso! (:

    ResponderEliminar